Artigos úteis para os estudantes.

 

Estratégias e Métodos de Estudo

Muitos dos problemas de aprendizagem existentes entre os estudantes são explicados pela ausência ou pelo uso inadequado de métodos de estudo e pela inexistência de hábitos de trabalho que favoreçam a aprendizagem.

Além disso, muitos jovens manifestam atitudes negativas em face do estudo, uma enorme desmotivação para as atividades escolares, dedicando-lhes muito pouco tempo.

Existem 4 elementos que tornam a aprendizagem mais suave e prazerosa; quando aprimorados, os frutos são colhidos mais rapidamente e os resultados logo aparecem.

 

1. Concentração: ter capacidade de concentração (atenção) é essencial para colher resultados.
2. Memória: é a capacidade de adquirir, armazenar e recuperar informações disponíveis no cérebro.
3. Leitura efetiva: o bom leitor manifesta espírito crítico perante aquilo que lê. A leitura efetiva é feita com a inteligência e não só com os olhos.
4. Motivação: um estudante motivado concentra-se no trabalho e não se dispersa. Em geral, os adolescentes sentem-se mais motivados, após a escolha profissional.

 

Alguns problemas de aprendizagem podem ser resolvidos com a utilização de estratégias e de métodos adequados. A estratégia e o método são indissociáveis.

1. Estratégia: envolve tudo o que precede o estudo. Exemplo: elaboração de uma grade de estudos e escolha do local.
2. Método: é o “como estudar”. Exemplo: fazer resumo, gravar o áudio das aulas...

 

1. A Estratégia
a) Elaboração da Grade de Estudo
O estudante deve conciliar atividades esportivas, convívio familiar, lazer e outros com o tempo dedicado aos estudos. É necessário que se estabeleça uma escala de prioridades, fazendo-se uma gestão racional do tempo, dedicando-se a cada tarefa o tempo necessário.
No início do processo, é aconselhável que se monte uma grade de estudos, com o auxílio de EDUCADORES (pedagogos, psicólogos, professores e orientadores educacionais), na presença de pais e alunos.
A participação dos pais e dos alunos (em conjunto) é importante, pois os mesmos trarão informações importantes, tais como horário das ocupações extraescolares, hábitos familiares, relógio biológico, componentes curriculares com maior dificuldade…

b) Local de Estudo
O ideal é que exista um local destinado apenas ao estudo. Deve-se identificar quais os estímulos do meio ambiente que podem contribuir para perturbar a sua atenção e, em seguida, imaginar estratégias para eliminá-los ou evitá-los. 
Deve-se organizar o seu local de estudo, tendo em conta os seguintes aspectos:
- Estudar em um local agradável (mas não excessivamente confortável) e com boa iluminação;
- Ter todo o material necessário nesse local (evita interrupções);
- Retirar do local de trabalho (ou desligar) tudo aquilo que puder servir de distração (celular, TV, computador...);
- Não ficar irritado devido a barulhos suportáveis.

 

2. O Método
“Todas as pessoas são capazes de aprender; o que difere uma pessoa da outra é como cada uma aprende.”
Métodos de estudos são técnicas que otimizam a aprendizagem, porém, variam de uma pessoa para outra. O ideal é cada pessoa criar seu próprio método de estudo. É muito importante que se pense sobre isso e que se reconsidere métodos que não estão sendo adequados. Um método eficiente de estudo desenvolvido durante a vida escolar será extremamente proveitoso durante toda sua vida profissional. 
Existem diversos métodos de estudos consagrados, ao longo dos anos, que podem ser úteis ou não para você.
Todos esses métodos podem ser testados, modificados e aprimorados, de acordo com a sua necessidade e individualidade.

- Estudar fazendo resumo.
- Estudar grifando as principais ideias.
- Estudar lendo em voz alta.
- Estudar e pedir a alguém para tomar a lição.
- Gravar o áudio das aulas e ouvi-las posteriormente.
- Estudar em grupos.
- Estudar escrevendo cópias do resumo.
- Estudar consultando várias fontes e comparando-as.
- Outros. Muitas vezes, os alunos nos perguntam: “Professor, por onde e como devo começar para melhorar a minha aprendizagem? “ Resposta: o ponto de partida é sempre a atitude na sala de aula.

Bacharelado, licenciatura ou tecnológico?

Por:  Lisandra Matias

 

Conheça as diferenças entre as titulações

Tão importante quanto escolher a profissão que você vai seguir, é prestar atenção na titulação do curso superior, ou seja, saber se o diploma recebido será de bacharel, licenciado ou tecnológico.

Confira as principais informações que você precisa saber sobre cada uma dessas opções.

 

BACHARELADO
É o tipo de curso mais tradicional de graduação. Corresponde a cerca de 60% de todos os cursos oferecidos no país. Concede uma formação abrangente, na qual você vai receber boa base teórica e científica e, ao final do curso, pode atuar nos diversos setores do mercado de trabalho – agropecuária, indústria, comércio e serviços.
Ideal para quem quer seguir carreira no mercado de trabalho, atuando em empresas ou por conta própria, como administrador, advogado, engenheiro, médico, jornalista, publicitário etc.
Duração: De quatro a cinco anos.
Documento de conclusão: Diploma de bacharel.
Os 5 bacharelados mais procurados*:
– Direito
– Medicina
– Administração
– Engenharia civil
– Enfermagem  

 

LICENCIATURA
É o curso para formação de professores. Para dar aulas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio é preciso cursar licenciatura em um campo específico do conhecimento, como História, Geografia e Matemática. Já para atuar na Educação Infantil e nas cinco primeiras séries do Ensino Fundamental é indicado fazer o curso de Pedagogia. As licenciaturas correspondem a cerca de 20% de todos os cursos de graduação.
Ideal para quem pretende lecionar no Ensino Fundamental ou Médio.
Duração: Quatro anos.
Documento de conclusão: Diploma de licenciado.
As 5 licenciaturas mais procuradas*:
- Pedagogia
- Educação Física
- Ciências Biológicas
- História
- Matemática
- Letras  

 

TECNOLÓGICO (OU CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA)
Curso com foco na prática, de duração mais curta do que o bacharelado. Ao contrário dos bacharelados, que oferecem formação ampla e generalista (como o curso de Administração), os tecnológicos formam o aluno para o exercício de atividades específicas (Gestão de Recursos Humanos e Gestão Hospitalar, por exemplo). Os tecnológicos correspondem a cerca de 20% de todos os cursos de graduação.
Ideal para quem procura uma formação mais técnica, em nível superior, que permita inserção rápida no mercado.
Atenção: as funções do tecnólogo são mais limitadas se comparadas com as do bacharel na mesma área.
Duração: De dois a três anos.
Documento de conclusão: Diploma de tecnólogo.
Os 5 tecnológicos mais procurados*:
– Análise e Desenvolvimento de Sistemas
– Gestão de Recursos Humanos
– Logística
– Gestão Ambiental
– Gastronomia  

 

*Censo da Educação Superior 2015 (MEC/Inep). Candidatos inscritos em cursos de graduação presenciais.

 
Fonte: Guia do Estudante

Dicas de como fazer uma proposta de intervenção

Por: Equipe Educacional Imaginie

 

A prova de redação ainda assusta muito o estudante, e não é para menos! A redação é um caderno individual que vale 1000 pontos, o que representa 20% da nota do exame. Estudantes que garantem uma boa nota na prova de redação conseguem aumentar bastante a média e, consequentemente, garantir uma vaga em uma boa universidade pública. Por isso sempre falamos: estudar redação é muito importante!

Na redação do Enem são avaliadas cinco competências: demonstrar domínio da modalidade escrita formal da Língua Portuguesa; compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação e, por último, elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos. Hoje iremos falar da quinta competência, que é a elaboração da proposta de intervenção para o problema abordado. Você sabe como elaborar uma boa proposta de intervenção? O que é necessário abordar para garantir os 200 pontos?

 

Direitos humanos
Se a proposta de intervenção apresentar qualquer frase que desrespeite os direitos humanos, o estudante zera a redação inteira e não somente esta competência. Elaborar uma proposta que faça diferenciações entre pessoas devido classe social ou gênero, por exemplo, fere os direitos humanos e é zerada.

 

Atualidades
O Enem costuma cobrar temas de atualidade relacionados ao aspecto social na redação. E para que o estudante consiga argumentar e elaborar a proposta de intervenção para o tema abordado é primordial (na verdade obrigatório) que ele acompanhe o noticiário, leia livros, jornais ou sites de notícias. Do contrário, não conseguirá escrever um bom texto e propor soluções viáveis para o problema.

 

Coerência na sugestão
A proposta de intervenção deve ter vínculo com a tese e ser coerente com os argumentos usados na redação. Fique ligado, pois o texto precisa ter um encadeamento lógico.

 

Detalhamento
A proposta bem elaborada deve conter um detalhamento do que fazer, como fazer, os meios e os participantes da proposta.

 

Viabilidade
A proposta apresentada deve ser executável, ou seja, possível de ser realizada. Não adianta apresentar soluções utópicas e fantasiosas, pois elas não serão realizadas.

 

Fonte: Guia do Estudante


 

Aprovações